O Teste de Fotos de Profissões (BBT) de Achtnich: histórico e pesquisas desenvolvidas no Brasil

Por Sonia Regina Pasian, Erika Tiemi Kato Okino, Lucy Leal Melo-Silva. Universidade de São Paulo – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto – Departamento de Psicologia e Educação. Centro de Pesquisas em Psicodiagnóstico.

Orientação profissional/vocacional e avaliação psicológica
[dc]O[/dc]s recursos da avaliação psicológica, embora úteis e promissores nos processos de orientação profissional/ vocacional, são ainda foco de polêmica na realidade brasileira, como bem apontaram Jacquemin, Melo-Silva e Pasian (2002). Os múltiplos questionamentos sobre os instrumentos de exame psicológico em geral e, em especial em suas aplicações na área de orientação profissional/ vocacional, segundo Draime e Jacquemin (1989), ocorreram em função do longo período em que foram utilizados pelos psicólogos sem a preocupação com estudos de sua validade e/ou sua padronização ao contexto socio-cultural brasileiro, sem mencionar a inadequação em suas utilizações. Ressaltaram, portanto, a importância dos estudos de padronização e validação das técnicas a serem aplicadas e a qualificação do profissional que fará uso das mesmas.

Apesar de não existir consenso entre os orientadores profissionais sobre a utilização de técnicas de avaliação psicológica, há uma concordância geral sobre a necessidade de um correto diagnóstico das vivências das pessoas que procuram por orientação profissional/ vocacional para possibilitar uma intervenção adequada e assertiva sobre a problemática. Barros (2005) afirma que a maioria dos profissionais que realizam orientação profis-sional/vocacional concorda que o diagnóstico psicológico se constitui como uma importante etapa nesse processo. Essa etapa diagnóstica seria a norteadora na escolha das estratégias a serem utilizadas, decorrentes da compreensão alcançada sobre o indivíduo a ser atendido, tendo como foco a resolução de sua problemática de definição ocupacional.

Por sua vez, Melo-Silva e Jacquemin (2001b) discutiram a relevância e os limites dos processos psicodiagnósticos dentro da orientação profissional, enfatizando a necessidade de se utilizar instrumentos tecnicamente qualificados aos propósitos desse tipo de intervenção. Essa idéia também foi reforçada por Savickas (2004), ao afirmar que a avaliação psicológica possibilita, ao psicólogo, acesso a dados mais objetivos sobre a dinâmica vivenciada pelo cliente, inserido em seu ambiente social.

Dentre as várias possibilidades de avaliação psicológica do indivíduo na área de orientação profissional/ vocacional em nosso país, o Conselho Federal de Psicologia, tendo por base a meta de aprimoramento dos instrumentos psicológicos (CFP, 2003), emitiu parecer favorável ao Teste de Fotos de Profissões – BBT. Destaque também foi oferecido a essa técnica de avaliação psicológica por Abade (2005), ao afirmar que o BBT está entre os dois testes projetivos estudados no Brasil na área de orientação profissional, porém é o único com parecer favorável do CFP e, portanto, utilizado nas práticas.

As possibilidades informativas do instrumento BBT para clarificação das inclinações motivacionais do indivíduo oferecem um lugar de relevância para essa técnica no campo da orientação profissional/vocacional (Melo-Silva & Jacquemin, 2001a). Pensando-se nessas implicações, o presente trabalho almeja apresentar um histórico dessa técnica de avaliação psicológica, sua origem e seus fundamentos, bem como relatar os estudos científicos que a fundamentam, desde sua criação até a atualidade, com ênfase nos trabalhos desenvolvidos no Brasil.

Dessa forma, este trabalho justifica-se na medida em que o conhecimento científico sobre o BBT encontra-se esparso e, muitas vezes, restrito a seus pesquisadores, dificultando a possibilidade de fundamentação do uso desse método em nosso país. Assim, considera-se que o presente estudo, ao discriminar e descrever detalhadamente os trabalhos de pesquisa desenvolvidos no Brasil com o BBT, ou seja, sua revisão bibliográfica em nosso contexto, poderá vir a contribuir como um estímulo a novas investigações com esse método, otimizando suas chances de aprimoramento técnico-científico, como almejado por todos os utilizadores de instrumentos de avaliação psicológica.

Para tanto, foram consultados os estudos científicos elaborados com o BBT disponíveis em manuais da técnica, dissertações e teses, bem como em livros, periódicos científicos, livros de resumos e anais de congressos científicos da área de orientação profis-sional/vocacional ou de avaliação psicológica desde a década de 70 (época de criação do BBT) até a atualidade, focalizando a análise sobre os materiais publicados no contexto brasileiro. Para essa busca dos estudos científicos com o BBT tomou-se por base o acervo bibliográfico sobre o tema disponibilizado pelo pesquisador André Jacquemin, responsável pela introdução dessa técnica projetiva no Brasil, ampliando-o de tal forma a tentar retratar, no presente trabalho, um mapeamento da produção científica nacional sobre o BBT, além de breve histórico de seu processo de criação e de desenvolvimento científico.

Para continuar lendo o artigo, clique aqui.

[hr]

Deixe uma resposta